26 junho 2014

O peso do passado

Eu fiquei várias horas pensando se me faria bem postar esse texto. Mesmo depois de expor 80% da minha vida pra várias pessoas, tenho um certo receio de falar sobre coisas tristes e atuais. Mas desde ontem, pra hoje (26/06/14), pelo menos umas 5 meninas vieram me perguntar sobre como eu consegui superar as dores que senti, pediram conselhos e pediram ajuda. Sempre que posso, gosto de ajudar meninas a passarem por essa barra que é um término de namoro, ajudar a passar por cima desse "pé-na-bunda" que a gente leva, né? Mas sempre que me pedem ajuda sobre superação, eu não consigo ajudar. Sempre digo para elas se distrairem, focar em outras áreas da vida, arrumar um hobby e essas coisas. Fazer isso, de fato ajuda! Mas não nos faz superar aquela dor. É mais ou menos como tapar o sol com a peneira.
Eu sofri muito pelo Marcos por mais ou menos 1 ano e meio. Nesse tempo eu não fazia nada além de cuidar da Luna e fazer planos de como voltar com ele. E sem contar com as horas que passava na cama chorando ou ficar observando a vida dele sem mim. Era masoquismo puro!
Até que um dia, eu cansei dessa rotina chorativa e acabei focando em outras coisas. Uma delas foi a igreja. Participava de tudo, todos os eventos, todas as programações eu estava envolvida. Eu melhorei meu relacionamento com Deus e ao mesmo tempo, sem querer, passava menos tempo pensando nele e me distraia bastante. E desde então eu comecei a "esquecer" o Marcos. Tive até outro namorado e tudo seguiu bem. Parei de sofrer e realmente achava que tinha superado todo aquele sofrimento. Mas bastava ver uma foto antiga, ou até mesmo me lembrar do que me aconteceu, lembrar do que ele fez, as vezes até o fato de lembrar da Luna quando era recém nascida me dava motivos pra chorar. Isso é o que eu chamo de tapar o sol com a peneira. Ou mentir pra si mesmo. É o peso do passado. E o passado pesa, mesmo sem a gente querer sentir esse peso todo.
Quando eu voltei a namorar com o Marcos, não foi fácil. Sempre achei que voltando com ele, tudo ia sumir. Toda dor iria embora de mim, todas aquelas lembranças seriam apenas uma coisinha no passado e eu poderia finalmente ser LIVRE de tudo aquilo. Mas não foi bem assim que aconteceu. A dor não foi embora, ao contrário! Eu olhava pra ele e quase sentia tudo de novo. COMO ELE PÔDE? Mil perguntas flutuavam na minha mente. Era enlouquecedor... Mas com o passar do tempo, fui esclarecendo várias coisas, tirando muitas dúvidas e a dor amenizou. As coisas começaram a clarear na minha mente, ficou tudo muito simples. Ou não.
Eu resolvi escrever esse texto ontem a noite, enquanto lavava a louça. Eu e o Marcos estamos numa fase muito gostosa do nosso relacionamento. A gente se dá bem. Conversamos, rimos, brincamos... Não há mentiras, a gente se conhece cada dia mais e o amor só aumenta. Os problemas e brigas já não conseguem nos afastar. Mas é impossível fugir do passado. É impossível apagar uma parte da nossa história. É impossível escrever isso aqui sem chorar... E isso porquê eu ainda não superei.
Eu estava lavando a louça do jantar enquanto o Marcos estava o quarto conversando com uns amigos seus. Foi quando ele veio correndo e super empolgado, falando que estava pensando em fazer uma festa de aniversário pra ele etc começou a me contar, planejar e tudo mais. E foi no meio dessa falação toda, dessa empolgação toda que ele mencionou a ultima festa de aniversário que ele teve, em 2012. Doeu na hora. Vai fazer 2 anos que aquela festa aconteceu, mas eu ainda me lembrava.

Eu estava grávida de uns 6/7 meses e nós tinhamos acabado de terminar o nosso namoro. Nós conversávamos pelo skype todo santo dia. E várias vezes ele me falou sobre essa festa. Ele estava muito empolgado com tudo.
Durante todo aquele mês, esperei pacientemente ele me convidar, me chamar, dizer o horário, dizer se ia me buscar ou não... Mas isso não aconteceu. Quando chegou o dia da festa, eu me arrumei toda. Fiz cabelo, maquiagem e coloquei o vestido mais bonito que eu tinha. Esperei ele entrar no skype e ele não entrou. Fiquei de bobeira na internet quando ví a foto. Era dele, vestido de caipira, todo feliz... Ao lado dele a mãe, irmã e ela... a Emily. Doeu TANTO! Chorei aquela noite inteira. E durante o resto do dia seguinte, chorei mais ainda. Ele deixou de me levar pra levar aquelazinha... A dor de ter sido trocada, rejeitada foi avassaladora. E pelo jeito, eu nunca superei.


Enquanto ele estava ao meu lado, falando... Eu tentei segurar o choro. Olhava pra louça tentando me concentrar. Era ridículo DEMAIS chorar por uma coisa que aconteceu há quase 2 anos? Claro! Eu ia parecer uma criança boba chateada porque não foi convidada pra uma festa de aniversário. Tentei parecer que eu nem ligava, que nem lembrava. Baixei a cabeça. Encerramos a conversa e ele voltou pro quarto. Foi quando desabei. Larguei a esponja na pia, coloquei as mãos ensaboadas e molhadas no rosto e chorei. Eu não estava mais alí, na pia da MINHA casa, eu estava grávida, com os cabelos compridos, no quarto da minha irmã, na casa dos meus pais, com 17 anos de novo... Eu deixei de ser quem sou hoje e tornei a ser aquela menininha frágil de novo. A dor era a mesma. A sensação era a mesma. Eu até pude me ver... Sentada no chão do quarto, desolada, isolada, abandonada. Chorando como uma criança. A maquiagem escorrendo pelo meu rosto. Uma sensação que não desejo a ninguém.

Meu coração ficou apertado, tão apertado que senti ele pequenininho, encolhido do tamanho de uma bolinha de ping-pong. Chorei tanto e tão forte, mas nem percebi. Acho que solucei alto ou respirei alto ou até mesmo chorei alto demais... Porquê o Marcos, do quarto, perguntou o que havia acontecido e se estava tudo bem. Ao ouvir o som da voz dele, voltei a realidade. Voltei aos meus 20 anos e a essa vida adulta que tanto amo. Tentei limpar as lágrimas rápido, com a manga da blusa. Tentei me recompor enquanto eu ouvir os passos vindo em minha direção. Em vão...

Ele olhou pra mim e falou alguma coisa que eu não me lembro. Me abraçou e eu me senti em casa... Chorei novamente. Como uma coisa tão bobinha que aconteceu há tanto tempo pode me abalar tanto? Como a dor não passou? Não passou em 2012, nem em 2013 e muito menos ontem, pois enquanto escrevo isso, me lembro de tudo e choro novamente. Acho que são coisas que talvez não passem. É a minha vida e eu não posso mudar.

Tudo o que aconteceu moldou a pessoa que sou hoje. As lágrimas ajudaram a formar a barreira que hoje existe em volta do meu coração... Só não entendo como um fato de 2 anos atrás consegue voltar com tanta força. É o peso do passado.

23 comentários:

  1. nossa Kell chorei com você não sei como é isto mais sei que você é guerreira demais e eu sempre torcerei por você <3

    ResponderExcluir
  2. Nossa, entrei totalmente no seu texto. Realmente nao tem como mudar isso, digo porque passei e passo por isso tb, porém, comigo são coisas de mais ou menos 5 anos atras, a gente não esquece, né !? e dói !! Estamos juntos agora, reescrevendo a nossa história e eu tentando superar coisas do passado.#ÉOPesoDoPassado

    Chorei com teu texto guria.
    Peço a Deus que te guie e ilumine tua familia.
    Quem sabe daqui a um tempo superamos isso tudo, não é !?

    Beijos.
    Mamãe e Bebê ' ♥

    ResponderExcluir
  3. Chorei, pois estou passando por isto também!

    ResponderExcluir
  4. O que ele fez com você não foi coisa boba. Você estava grávida, precisando de carinho e atenção. E ele te ignorava e te humilhava muito. Vocês eram muito novinhos, acredito que ele tenha agido dessa forma por falta de maturidade. Esquecer tudo o que aconteceu é impossível. Mas é possível se lembrar sem magoa, se você acha que vale a pena ficar com ele tente perdoar um pouco todos os dias e com um tempo você vai conseguir. Pense nas coisas boas. As pessoas podem ser melhores quando querem e o Marcus pode se tornar um bom namorado/marido. Mas tenha em mente que a escolha é sua, e se um dia não for o que você quer não hesite em buscar outras coisas, você é jovem e linda tem uma vida te esperando. Tenha fé e peça a Deus para orientar seus caminhos e acalmar seu coração. Beijos Thais.

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana Raquel! Tudo bem?

    Me chamo Aline e acompanho seu blog desde quando a Luna era um bebêzinho de um mês, mas nunca tive coragem de comentar. Mas hoje, quando li este seu "desabafo" me identifiquei.
    Estou com meu marido há 7 anos, e no comecinho do namoro, acho que quando tínhamos um ano e pouquinho eu vi ele me traindo em uma balada. Meu mundo acabou naquele momento. Fiquei em choque, bati muito nele, passei mal na hora e chorei bastante.
    Nos acertamos, mas ainda tenho lembranças bem fortes daquele dia, e de outras vezes também. Ele não levou a sério nosso relacionamento, só foi perceber de verdade depois dessa ocasião, aí teve certeza que seria comigo que construiria a vida.
    Mas assim, é difícil esquecer, é difícil não lembrar e se chatear, e vou te confessar que até hoje ainda choro e sofro quando lembro de todo mal que ele me fez naquela época e me pergunto o porquê de tudo isso, porquê eu tive que passar por tanta dor pra ele perceber que me amava, sabe?!
    Hoje vivemos bem, somos felizes, nos casamos, estamos lutando por nossos sonhos, mas bem como você disse, são marcas do passado, e pesam muito.

    Mas é isso, bola pra frente e procurar lembrar das coisas boas que aconteceram e não deixar que esses fantasmas acabem com o belo momento que estamos passando, é assim que penso.

    E quando tiver um tempinho, passa lá no meu cantinho para conhecer: http://aliemaycon.blogspot.com.br/

    Bjos, até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São coisas difíceis de esquecer, né flor?
      Mas quando colocamos na baança, vemos que são coisas pequenas diante todas as outras coisas boas...

      Beijinhos

      Excluir
  6. Kel,

    A vida é assim mesmo.
    Nos pregam peças que nem esperarmos... mas é como você falou, as coisas que aconteceram no passados nos moldam ao logo da vida.
    Não dá pra passar uma borracha e esquecer, ou até mesmo fingir que esqueceu.

    A questão é saber dosar as emoções e não ficar escrava dessas lembranças.

    Beijos,
    A Mãe da Estela
    http://amaedaestela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Raquel esse texto tem muito a ver com o que passo. Fui "casada" por 4 anos e tudo ia bem até que engravidei,senti que aos poucos as coisas iam ruindo a minha volta conforme os meses passavam,e o meu jeito sempre foi de ignorar o que me fazia triste mas confesso que GRÁVIDA as coisas são totalmente diferentes,se antes de engravidar eu podia me separar a hora que quisesse,grávida eu já não teria tanta facilidade. Sofria muito,separei e voltei umas 2 vezes com ele durante a gestação,entre essas separações ele ficou com uma menina também no dia do seu aniversário aquilo me chateou muito,tempos depois voltamos a nos falar por causa do nosso filho (já nascido e morando comigo) e até hoje nos falamos,entre essas conversas ele me pede pra voltar,vive me comprando presentes,liga,manda mensagens,e eu no meio disso tudo fico confusa por que lembro de tudo o que ele me fez passar,todas as coisas que ele fez e as que não fez,as mentiras e raivas,como esquecer? Eu sou péssima para perdoar!
    Então lendo seu texto me identifiquei na hora,senti o que você sentiu quando se expressou dizendo que o passado é pesado. Como você consegue viver com o Marcos depois de tudo o que ele fez? você não pensa que ele pode fazer de novo? (Não é uma critica ou uma pergunta ofensiva,pergunto pois é o que eu penso toda vez que vejo ou penso em voltar com o pai do meu filho e eu tenho muito medo de arriscar um envolvimento com ele novamente).
    Desde já desejo tudo de bom à você e sua família linda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perdão não é algo que acontece. Não é uma coisa que você vai acordar e sentir que perdoou. Perdão é uma questão de escolha. Você precisa ESCOLHER perdoar alguém ou até a si mesma.
      Eu escolhi perdoar... E quando a gente perdoa, a gente meio que esquece e decide tentar de novo ou não. Mas dessa vez, sem ficar pensando no que poderá acontecer. Eu demorei meses pra ver e acreditar que o Marcos estava pronto pra mim. Ele me procurou em agosto, mas só em Dezembro eu pude perceber que estava na hora certa.

      Excluir
  8. Ai Kell,sabe aqueles tipos de pessoas que olhamos e pensamos ''ela(e) deve ser legal?'' e ai que penso quando vejo um vídeo seu ksksks você parece ser legal!
    Você tem uma filha lindaaaaaaaa, da vontade de apertar!!! fofa fofa e estou aqui ansiosa pra ver o vlog! Ahhh e você escreve muitoooo bem, arrasa no que escreve haha.
    Besoss!
    http://obaesmaltes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que linda!!! Obrigada viu?? fica de olho, que dia 2 tem vlog novo no canal

      Excluir
  9. ;( passei por isso, sofrí muito por causa do meu ex que tbm me abandonou com 6 ou 7 meses de gravidez, minha história em algumas partes é bem pareçida com a sua, pois comecei a namorar com ele(ex) na mesma época q vc começou a namorar com o M.P . e tive minha filha no mesmo mes que vc tve a luna , ou seja, começamos a namoras no mesmo mes, engravidamos no mesmo mes e tivemos filho no mesmo mes, falo isso pq acompanho sua história des do começo ,minha filha tá com 1 ano e 10 meses, a única coisa diferente é que minha história diferente da sua não teve um final feliz com o pai da minha filha, ele segui a vida dele normalmente, como se nada tivesse acontecido, estudando, namorando, passando e concurso, fazendo faculdade, e cá estou eu, cuidando da minha filha, sem trabalhar, desiludida da vida, assistindo de camarote ele se cada vez melhor na vida e me afundando cada vez mais.. mais saiba que esse seu propósito de escrever sua vida aqui no blog, sua hístória, momentos tristes que foram taaantos e finalmente sua superação ta me servindo muito de incentivo, pela pessoa forte, batalhadora e guerreira que vc é, e que luta pelos seus sonhos .. espero "quando crescer" ser igualzinha a vc , rs um dia eu chego lá, e poderei dizer também que minha história teve um final Feliz..
    Continui firme, você é uma mulher de muita fé ! Que deus te abençôe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Li uma coisa que ficou na minha cabeça... As vezes Deus não nos livra de algumas situações ruins, pq são essas situações ruins que estão nos moldando e preparando pro futuro! Fica bem e permanece forte!

      Excluir
  10. Li seu post e sinceramente não consegui segurar o choro.
    Lembro do dia em que voltei grávida para a casa do meu pai porque meu marido havia mentido pra mim , e até hj ele se acha certo .
    Chorei feito um bebe :(
    E tenho dezesseis aninhos . Imagina ..
    http://paulasanthana.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus sempre sabe o que faz, minha flor...
      Fica bem e tenha sempre fé. No final sempre dá tudo certo.

      Excluir
  11. http://meu-sonho-de-ser-mae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Acompanho seu blog ha mt tempo, e tbm passei por varias coisas q sempre tentei esquecer e deixar pra la, mas as vezes voltam e só da vontade de chorar né? Acho q é assim mesmo, só espero que um dia passe. Beijos.

    ResponderExcluir
  13. s pois estou ha tres dias lendo seu blog e nossas historoas juntas matariam muitas mulheres de rir e chorar rsrsr mas nesse post vi q nao sou louca... e eh assim q me sinto diariamente olhando pro meu marido.. se puder entrar. contato aguardo resposta. ps: vc eh ruiva eh show..

    ResponderExcluir

Minha avó já dizia: "Se não for dizer algo bom, é melhor não dizer nada."